26 | fevereiro

O menino que perdeu o medo do vento: uma história inspirada pela convivência

Apaixonada pela família e por toda forma de vida, a escritora e poetisa Juliana Alberti tem no seu entorno inspiração que precisa para escrever. O topo das árvores do bosque ao lado de casa, os bichinhos que voam livres na natureza e as flores que dão cores ao jardim do Alfredo Andersen, edifício da Plaenge onde mora em Curitiba (PR), fazem parte da criação das histórias. A autora já escreveu nove livros, sendo dois deles infantis.

Juliana conta que o amplo condomínio, onde as crianças brincam à vontade, a entusiasmou na hora de deixar a escrita fluir. Olhando os pequenos se divertindo no bosque, no jardim, no parque, na quadra e na piscina, ela percebeu que poderia ajudar as crianças – e seus pais e mães –, estimulando uma infância mais feliz, saudável e repleta de brincadeiras. Por conta disso, a ideia do livro é disseminar as histórias do universo dos pequenos.

O marido e os dois filhos também são inspirações que tornam os dias da escritora ainda mais alegres e, por que não, criativos?! Os três, inclusive, são personagens das histórias criadas nos livros da escritora, como a sua mais recente obra: “O menino que tinha medo do vento”, baseada em temores que a maioria das crianças possui, como chuva, ventos e tempestades.

O livro é uma história para ajudar os pequenos a encararem os desafios do dia a dia, superando e vencendo os medos. Juliana revela que começou a escrever a obra quando o filho mais velho, Pedro, de 9 anos, tinha muito medo de fantasmas e de ficar no escuro. De forma lúdica, deixando a imaginação à solta e se valendo da bagagem de suas outras oito obras literárias, ela registrou as principais peripécias das crianças que vivem num ambiente totalmente acolhedor e mágico.

Para a autora, a principal mensagem transmitida é para que as crianças brinquem, sem medo, e aproveitem ao máximo esta fase única. Para os pais, a inspiração é estimular o convívio dos pequenos e a proximidade com a natureza. Abusando da criatividade e da imaginação, a obra apresenta momentos divertidos de uma das etapas mais ricas na vida de uma pessoa: a infância.