08 | março

Mulheres fazem a diferença na Plaenge

Basta um rápido passeio pelas obras e escritórios da Plaenge para perceber que as mulheres estão por toda parte! Seja na parte operacional da empresa, construindo edifícios, ou na liderança e na execução de atividades administrativas, as colaboradoras marcam presença e contribuem para o sucesso do Grupo Plaenge, considerado a maior e melhor construtora do Sul do Brasil pelo ranking Valor 1000, do Valor Econômico. No dia 8 de março, quando o mundo celebra o Dia Internacional da Mulher, neste 08 de março, o Blog Plaenge relembra a história da presença feminina na empresa.

Fabíola Almeida​, engenheira da Plaenge Industrial

Fabíola Almeida​, engenheira da Plaenge Industrial

A gerente de Recursos Humanos do Grupo, Luciana Siqueira, destaca que a presença das mulheres é importante porque ajuda na diversidade de percepção e opinião. “Para algumas atividades especificas, que necessitam de observação a detalhes, no geral as mulheres apresentam uma performance diferenciada”, conta.

Equipe LDB

Equipe de Recursos Humanos do Grupo Plaenge em Londrina, PR

Atualmente, nas sete cidades em que atua no Brasil e também no Chile, a construtora tem 464 colaboradoras, o que corresponde a quase 30% do total. Luciana explica que o Grupo Plaenge considera que todas as pessoas – independentemente do sexo, gênero, cor ou raça – são capazes de desempenhar as atividades propostas pela empresa. “Todos participam do processo seletivo de forma igual”, afirma.

A presença das mulheres nas obras, atuando em funções como pedreiras, pintoras, almoxarifado e outras, ainda chama a atenção de quem visita os edifícios em construção.

Montagem Ada, Talita, Valeria

Equipe do Grupo Plaenge em Campo Grande, MS

A gerente de RH conta que esse movimento ganhou força há dez anos, quando houve uma alta demanda por pessoas nos canteiros de obras e passamos a recrutar mulheres para atividades de acabamento. “Observamos que muitas delas poderiam fazer outras atividades dentro do canteiro de obra, além das ligada a acabamento, como operar grua ou assumir a função de encarregadas”, relata. Desde então, elas passaram a ocupar cargos que até então não eram comumente ocupados por mulheres, contribuindo para a diversidade em todos os setores da construtora.

___________

Texto: Carolina Avansini | Assessoria de Imprensa

Fotos: Divulgação